Argentovivo: Traduction en Portugais et Paroles - Daniele Silvestri

La Traduction en Portugais de Argentovivo - Daniele Silvestri et les Paroles originales de la Chanson

Argentovivo
Paroles de Daniele Silvestri

Ho sedici anni
Ma è già da più di dieci
Che vivo in un carcere
Nessun reato commesso là, fuori
Fui condannato ben prima di nascere

Costretto a rimanere seduto per ore
Immobile e muto per ore
Io, che ero argento vivo, signore
Che ero argento vivo e qui dentro si muore
Questa prigione corregge e prepara una vita
Che non esiste più da almeno vent’anni
A volte penso di farla finita
E a volte penso che dovrei vendicarmi
Però la sera mi rimandano a casa lo sai
Perché io possa ricongiungermi a tutti i miei cari
Come se casa non fosse una gabbia anche lei
E la famiglia non fossero i domiciliari

Ho sedici anni
Ma è già da più di dieci
Che vivo in un carcere
Nessun reato commesso là, fuori
Fui condannato ben prima di nascere

E il tempo scorre di lato ma non lo guardo nemmeno
E mi mantengo sedato per non sentire nessuno
Tengo la musica al massimo, e volo
Che con la musica al massimo, rimango solo
E mi ripetono sempre che devo darmi da fare
Perché alla fine si esce e non saprei dove andare
Ma non capiscono un cazzo, no
Io non mi ci riconosco e non li voglio imitare
Avete preso un bambino che non stava mai fermo
L’avete messo da solo davanti a uno schermo
E adesso vi domandate se sia normale
Se il solo mondo che apprezzo, è un mondo virtuale
Io che ero argento vivo, dottore
Io così agitato, così sbagliato
Con così poca attenzione, ma mi avete curato
E adesso, mi resta solo il rancore

Ho sedici anni
Ma è già da più di dieci
Che ho smesso di credere
Che ci sia ancora qualcosa là, fuori
E voi lasciatemi perdere

È così facile da spiegare, come si nuota in mare
Ma è una bugia, non si può imparare

Ad attraversare quel che sarò
Dici che io arriverò a capire
A te fa stare meglio
A me fa stare solo male
Doverti dire come sarò

Nella testa girano pensieri che io non spengo
Non è uno schermo, non interagiscono se li tocchi
Nella tasca un apparecchio che è specchio di quest’inferno
Dove viaggio, dove vivo, dove mangio, con gli occhi
Sono fiori e scarabocchi in un quaderno
Uno zaino come palla al piede, un’aula come cella
Suonerà come un richiamo paterno, il mio nome dentro l’appello
E come una voce materna, la campanella suonerà
È un mondo nato dall'arte, per questo artificiale
In fondo è un mondo virtuoso, forse per questo virtuale
Non è una specie a renderlo speciale
E dicono che tanto è un movimento chimico
Un fatto mentale, Io che non mentivo
Che ringraziavo ad ogni mio respiro
Ad ogni bivio, ad ogni brivido della natura
Io che ero argento vivo in questo mondo vampiro
Mercurio liquido se leggi la nomenclatura

Ho sedici anni
Ma già da più di dieci vivo in un carcere
E c’è un equivoco nella struttura
E fingono ci sia una cura, un farmaco ma su misura
E parlano, parlano, parlano, parlano

Mentre mio padre mi spiega perché è importante studiare
Mentre mia madre annega nelle sue stesse parole
Tengo la musica al massimo, ancora
Ma non capiscono un cazzo, no
E allora, ti dico un trucco per comunicare
Trattare il mondo intero come un bambino distratto
Con un bambino distratto davvero
È normale che sia più facile spegnere
Che cercare un contatto
Io che ero argento vivo, signore
Io così agitato, così sbagliato
Da continuare a pagare in un modo esemplare
Qualcosa che non ricordo di avere mai fatto

Ho sedici anni
Ho sedici anni e vivo in un carcere
Se c’è un reato commesso là fuori
È stato quello di nascere

Argentovivo
Traduction de Daniele Silvestri en Portugais



Eu tenho dezesseis anos
Mas já se passaram mais de dez
Que eu vivo em uma prisão
Nenhum crime cometido lá fora
Eu estava condenado, bem antes do nascimento

Costretto permanecer sentado por horas
Imóvel e em silêncio durante horas
Eu vivo de prata, senhor
Que eu estava vivo e aqui dentro você morre
Esta prisão corrige e prepara uma vida
Que não existiu por, pelo menos, vinte anos
Às vezes eu acho que acabar com isso
E às vezes eu penso que eu deveria me vingar
No entanto, na noite, gostaria de lembrar a casa que você sabe
Porque eu posso, meus pensamentos se voltam a todos os meus entes queridos
Como se a casa fosse uma gaiola e ela
E a família não estavam em casa

Ho de dezesseis anos
Mas já se passaram mais de dez
Que eu vivo em uma prisão
Nenhum crime cometido lá fora
Eu estava condenado, bem antes do nascimento

e o tempo passa para o lado, mas não olhar para ele mesmo
E eu me manter sedado para não sentir nenhum
Eu quero que a música no máximo, e voo
Que com a música para o máximo, eu sou apenas
E eu repita sempre que eu precisar de mim para fazer
Porque, no final, ele sai e eu não sei para onde ir
Mas eles não entendem uma transa, sem
Eu não sei de mim, e eu não quero imitar
Você tomou uma criança que nunca foi ainda
Coloque apenas na frente de uma tela
E agora você quer saber se isso é normal
Se o único mundo que eu aprecio, é um mundo virtual
Eu era de prata ao vivo, médico
Eu tão agitado, tão errado
Com tão pouca atenção, mas você cuidou de mim
E agora, resta-me apenas o rancor

Ho de dezesseis anos
Mas já se passaram mais de dez
Deixei de acreditar
Que ainda há algo lá fora
E você, deixe-me perder

em tão fácil de explicar, como você pode nadar no mar
Mas isso é mentira, não pode aprender

Através do que eu vou ser
Você diz que eu vim a entender
Para você, faz você se sentir melhor
Para mim, faz-me sentir ruim
Tenho que dizer que vou estar

ão a cabeça girando pensamentos que eu não desligue
Não é uma tela, não interagindo, se você tocá-los
No bolso um aparelho que é um espelho deste inferno
Para onde viajam, onde eu vivo, onde eu comer com os olhos
Flores e rabiscos num caderno
Uma mochila como com a bola nos pés, um hall de célula
Soa como apenas um paternal lembrete, o meu nome na apelação
E como uma voz maternal, o sino soará
É um mundo nascido da arte, o artificial
No fundo é um mundo que é virtuoso, talvez, para este virtual
Não é uma espécie de para torná-lo especial
E eles dizem que o tempo é um movimento de química
Mental verdade, eu não mentivo
Que eu agradeceu a cada fôlego meu
Em cada junção, cada emoção da natureza
Eu estava vivo neste mundo de vampiros
Mercúrio líquido, se você ler a nomenclatura

Ho de dezesseis anos
Mas já há mais de dez vivo em uma prisão
E há um mal-entendido na estrutura
E finjo que existe uma cura, uma droga, mas adaptados
E falar, falar, falar, falar
ouro botkiller medi gun meu pai explica-me por que é importante estudar
Enquanto minha mãe está se afogando em suas próprias palavras
Eu quero a música ao máximo, ainda
Mas eles não entendem uma transa, sem
E então, eu vou contar a vocês um truque para se comunicar
Tratar todo mundo como uma criança distraída
Com uma criança realmente distraído
É normal que seja mais fácil para desligar
Procurar um contacto
Eu estava vivo, o senhor
Eu tão agitado, tão errado
Para continuar a pagar de forma exemplar
Algo que eu não me lembro de ter

Ho de dezesseis anos
Eu tenho dezesseis anos e moro em uma prisão
Se há um crime cometido lá fora
Era para nascer

Dernières Traductions et Paroles Ajoutées Daniele Silvestri

DS9
L’album DS9 contient la chanson Argentovivo de Daniele Silvestri . Cet album est sorti le: 30/11/2018.
Êtes-vous intéressé par d'autres traductions des chansons de l'album DS9 ?

À droite, vous trouverez la liste des chansons. contenu dans cet album dont nous n'avons pas la traduction Si vous souhaitez la traduction de l'une de ces chansons, cliquez sur le bouton approprié. Lorsque nous aurons atteint au moins 3 rapports pour une chanson, nous activerons cette option pour insérer sa traduction dans le site.
Nom de la chansonRapportsVoulez-vous la traduction?
Complimenti ignoranti0/3
Tempi modesti 0/3
Vous avez jusqu'à présent amélioré
134
traductions de chansons
Merci!